Notícias

Gabinete de Crise de Candelária estuda alternativas após queda da ponte flutuante

today24/05/2024 15

Fundo
share close

O prefeito de Candelária, Nestor Ellwanger (Rim), juntamente com o vice-prefeito Cristiano Becker, convocou integrantes do gabinete de crise na noite de quinta, 23, para debater alternativas em relação à nova dificuldade gerada pelo rompimento da ponte flutuante instalada para realizar a travessia do rio Pardo, entre a Prainha e a Linha do Rio.

Participaram do encontro na Prefeitura, além do prefeito e do vice, o coordenador do gabinete de crise, Flávio Karnopp, a procuradora do município, Tanaela Müller, o secretário de Transportes, Obras Públicas e Trânsito, Jairo Radtke, o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, João Francisco Rodrigues da Silva, o presidente da Câmara Municipal, Gilvan Moura, o presidente do Corpo de Bombeiros Voluntários de Candelária, Mateus Böck, o secretário de Administração, Jorge Mallmann, o coordenador da Defesa Civil, João Vicente Carrão, e o assessor do gabinete de crise, Matheus Haetinger.

O debate girou em torno de uma solução para restabelecer a conexão entre os dois lados do rio. Uma das alternativas foi descartada de pronto pela Rota de Santa Maria, do Grupo Sacyr, a concessionária responsável pela RSC 287. Contatado, o gerente da empresa, Cesar Cruvinel, informou que o local das obras apresenta um vão aberto de 20m de extensão com 5m de profundidade, o que inviabiliza por completo a montagem de uma pinguela, a exemplo da que já havia sido colocada anteriormente.

A partir dessa informação, a Prefeitura e o gabinete de crise buscaram viabilizar outras possibilidades para a travessia do rio para pedestres. Neste sentido, o secretário de Obras afirmou que a recuperação da ponte pênsil, localizada a cerca de 400m acima do local onde estava a ponte flutuante, avançou. Afirmou que se o tempo permitir, a pinguela poderá ficar pronta até o final do domingo, 26.

Dessa forma, é possível que no início da próxima semana a ponte pênsil seja liberada, tornando-se, assim, uma alternativa para travessia de pedestres. Por fim, outra alternativa buscada é a recolocação da ponte flutuante. A fim de levar adiante essa ideia, os bombeiros voluntários irão já na manhã de sexta, 24, tentar resgatar as canoas e o restante da estrutura da passadeira. Após ser recolhido, ficou acertado com um representante do 3º Batalhão de Engenharia de Combate, que o material será levado para revisão até a sede da corporação, em Cachoeira do Sul.

A partir disso, se a estrutura oferecer as condições adequadas, com eventuais reparos e substituições de parte da estrutura, a ponte poderá ser instalada novamente no mesmo local, assim que o rio oferecer condições adequadas. As previsões meteorológicas indicam que a chuva diminui de intensidade nas próximas horas e deverá cessar ao longo da sexta, realidade que poderá permitir a recolocação da passadeira para pedestres sem demora.

Escrito por Jornalismo

Rate it

Post anterior

Rádio Santa Cruz

Destaques

Quase 75% da população do Rio Grande do Sul foi atingida pelas enchentes

Quase 75% da população do Rio Grande do Sul foi atingida diretamente pelas enchentes que assolam o Estado desde o fim do mês passado, aponta a pesquisa Atlas/CNN. Diante da pergunta “Você foi afetado (a) diretamente pelas enchentes que estão ocorrendo no Rio Grande do Sul?”, 74,8% dos entrevistados responderam que “sim”. Outros 25,2% disseram que “não” sofreram nenhum tipo de problema causado pelos alagamentos. Segundo a pesquisa, divulgada na quinta-feira […]

today24/05/2024 12

Comentários da publicação (0)

Deixe uma resposta

O seu email não vai ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Rádio Santa Cruz | Rua Ramiro Barcelos, 737 – Centro | Santa Cruz do Sul – RS / CEP 96810-054

Websites: Magicpage

0%