Destaques

Governo federal prepara linha de crédito para famílias afetadas pelas inundações no Rio Grande do Sul

today07/05/2024 43

Fundo
share close

As famílias afetadas pelas enchentes no Rio Grande do Sul receberão uma linha de crédito especial para a reconstrução de suas casas, informou o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, na noite de segunda-feira, 6.

Conforme Haddad, o governo ainda está definindo os detalhes e a possibilidade de os bancos oficiais operarem a linha de crédito. “É preciso uma linha de crédito específica para a reconstrução da casa das pessoas. A maioria não tem cobertura de seguro. Então, isso tudo vai ter que ser visto”, disse o ministro.

A linha de crédito se somará a outras medidas voltadas às famílias atingidas pela tragédia, como o adiamento, por três meses, do pagamento de tributos federais por pessoas físicas e empresas, inclusive o Imposto de Renda, nos 336 municípios gaúchos em estado de calamidade pública. Para as micro e pequenas empresas e os microempreendedores individuais, o pagamento foi adiado em um mês.

“Não tem como esperar. Então, isso tudo vai precisar de uma dinâmica própria. Mas nós estamos trabalhando em outras frentes importantes e queremos concluir esse trabalho o mais rapidamente possível”, afirmou Haddad.

Dívida

Em relação à dívida dos Estados com a União, Haddad disse que o governo pretende dar um tratamento específico e emergencial ao Rio Grande do Sul. O governador Eduardo Leite pediu a suspensão das parcelas dos débitos com o governo para liberar cerca de R$ 3,5 bilhões do caixa do Estado.

Segundo o ministro, embora outros Estados do Sul e do Sudeste queiram renegociar as dívidas com a União, o RS receberá prioridade no momento. “Nós temos de isolar o maior problema para enfrentar de maneira adequada. É um caso totalmente atípico, precisa de um tratamento específico”, declarou Haddad.

Outra possibilidade de ajuda ao Estado é a liberação de recursos por meio de créditos extraordinários, usados em situações urgentes e imprevistas e que estão fora do limite de gastos do novo arcabouço fiscal. Haddad informou que o governo federal ainda não tem um cálculo do valor necessário para ajudar na reconstrução do Rio Grande do Sul.

“Sem a água baixar, é muito difícil fazer uma estimativa de custo. Temos que aguardar os próximos dias para fazer uma avaliação dos danos e decidir como vamos enfrentar esse problema. Mas a disposição do Congresso e dos Executivos estadual e federal é de enfrentar o problema”, afirmou Haddad.

Fonte: O Sul

Escrito por Jornalismo

Rate it

Post anterior

Notícias

Barragens 14 de Julho e Salto Forqueta continuam sob risco de ruptura iminente, alerta o governo gaúcho

As barragens 14 de Julho, em Cotiporã e Bento Gonçalves, e a Salto Forqueta, em São José do Herval/Putinga seguem em risco de ruptura iminente. O governo gaúcho monitora a situação das barragens no Rio Grande do Sul. Dados parciais divulgados na noite desta segunda-feira (6) apontam que seis estruturas estão em situação de emergência, apresentando risco de rompimento e já com ações de resposta em andamento. O monitoramento é […]

today07/05/2024 99

Comentários da publicação (0)

Deixe uma resposta

O seu email não vai ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Rádio Santa Cruz | Rua Ramiro Barcelos, 737 – Centro | Santa Cruz do Sul – RS / CEP 96810-054

Websites: Magicpage

0%