Notícias

Mais de 600 apenados são mobilizados em ações de auxílio à população atingida pelas enchentes

today27/05/2024 13

Fundo
share close

Desde o início de maio, a Polícia Penal, vinculada à Secretaria de Sistemas Penal e Socioeducativo (SSPS), tem disponibilizado a mão de obra de pessoas privadas de liberdade para prestar auxílio à população atingida pelas enchentes no Rio Grande do Sul. Até o momento, mais de 600 apenados, de 47 estabelecimentos prisionais, foram mobilizados para limpeza das cidades e fabricação de itens como camas, rodos, berços e casas para cães, entre outras atividades.

De acordo com o secretário de Sistemas Penal e Socioeducativo, Luiz Henrique Viana, as ações irão durar o tempo que for necessário para a reconstrução do Estado. “Assim como ocorreu nas cheias do ano passado, a Polícia Penal, por meio dos seus servidores e apenados, está focada em auxiliar nas demandas que surgirem, atuando em prol das comunidades e com foco no suporte aos atingidos”, pontuou.

Devido à grande quantidade de doações recebidas no Estado, uma das frentes de trabalho dos apenados é na limpeza e no suporte ao descarregamento, à triagem, à organização e à distribuição de donativos, quando necessário. Esse tipo de atividade, coordenada por servidores penitenciários, conta com o apoio de pessoas privadas de liberdade dos institutos penais de Montenegro, Canoas, Miguel Dario e Patronato Lima Drummond; das penitenciárias de Venâncio Aires e Guaíba; e dos presídios de Santa Cruz do Sul, Lajeado, Arroio do Meio, Encantado, Sobradinho e Candelária.

Outra forma de auxílio é na limpeza na limpeza de ruas e prédios públicos de cidades. Taquara, Igrejinha, Parobé, Canoas, Nova Prata, São Francisco de Paula, Três Coroas, Santa Cruz do Sul, Lajeado, Arroio do Meio, Encantado, Sobradinho e Candelária têm recebido o suporte de apenados.

Além disso, 20 pessoas privadas de liberdade estão trabalhando, através de termos de cooperação com a SSPS, na limpeza das sedes administrativas da Polícia Penal, da 10ª Delegacia Penitenciária Regional e do Grupo de Ações Especiais, todas localizadas em Porto Alegre e atingidas pela enchente, além do Centro Administrativo de Contingência, onde estão funcionando, temporariamente, as secretarias estaduais. Outras pessoas, que cumprem pena no Instituto Miguel Dario, no Patronato Lima Drummond e nas penitenciárias de Sapucaia do Sul e Arroio dos Ratos também atuam nesses locais.

Um dos itens mais demandados para a retirada do lodo dos espaços inundados é o rodo de madeira, ferramenta que facilita a limpeza de locais com grande concentração de lama. Atualmente, 11 estabelecimentos prisionais estão produzindo os rodos. Até o momento, 1,4 mil unidades já foram montadas por apenados.

Suporte à população em abrigos

Com o objetivo de proporcionar maior conforto e bem-estar às pessoas que estão em abrigos, apenados dos presídios de Iraí e Canela iniciaram a produção de camas de madeira. A meta é chegar a 235. Parte delas já foi entregue a municípios atingidos. Em Canela, há ainda a confecção de berços para bebês. Inicialmente, 20 unidades serão fabricadas. Além disso, no Presídio de Jaguarão, sete mil fraldas foram produzidas para serem doadas em Pelotas, Jaguarão, Canoas, Arroio do Meio e Rio Grande.

O cuidado com os animais atingidos pelas enchentes também é um dos focos do trabalho realizado por pessoas privadas de liberdade. Nas penitenciárias de Canoas I, Ijuí, Osório e Caxias do Sul e nos presídios de Sarandi e Arroio do Meio, ocorre a produção de casinhas para cães, que são doadas a abrigos. Até o momento, 122 unidades foram construídas.

Além disso, em Osório, os apenados produzem caminhas para os animais com o tecido de roupas doadas que não estão em condições de uso. Os 50 itens confeccionados foram destinados a abrigos em Tramandaí e Porto Alegre. Na Penitenciária Estadual de Porto Alegre, também há pessoas privadas de liberdade produzindo camas e roupas para pets que serão entregues a desabrigados. A previsão é que mais 50 unidades sejam doadas.

O Presídio Regional de Pelotas e a Penitenciária de Rio Grande estão fabricando roupas de cama, e os presos da 2ª Região Penitenciária atuam na costura de roupas para os desabrigados, em parceria com o curso de Moda da Universidade Franciscana, em Santa Maria. Apenados da 3ª Região Penitenciária também trabalham na produção de cobertores feitos de retalhos de roupas.

Com o apoio de doações da comunidade, houve também a produção de sete mil bolachas caseiras no Presídio de Lagoa Vermelha, que foram distribuídas às pessoas abrigadas no Ginásio Municipal e aos voluntários de Muçum em 16 de maio. Na Penitenciária Modulada de Osório, foi  realizada a produção de 500 pães e 200 fatias de bolo para distribuição a pessoas que estão abrigadas em Tramandaí.

Ajuda a comunidades e instituições

Desde 11 de maio, a Penitenciária Estadual de Bento Gonçalves tem prestado serviços de lavanderia e higienização de roupas de cama e vestuário do Hospital de Roca Sales, quando necessário.

Para dar suporte às mães que perderam os enxovais na enchente, o Presídio de Júlio de Castilhos confeccionou e doou 22 bolsas e 22 necessaires para kits de maternidade da Associação dos Amigos do Hospital Universitário de Santa Maria.

“Temos diversas frentes de atuação, seja com os nossos servidores atuando no resgate de vítimas e no transporte de donativos, seja com a participação da mão de obra prisional na limpeza, na manutenção e na produção de itens que vão auxiliar as pessoas atingidas a enfrentar este momento tão doloroso”, afirmou o superintendente dos Serviços Penitenciários, Mateus Schwartz.

A Polícia Penal permanece mobilizada e atenta às demandas da população e dos municípios para prestar apoio nas atividades que podem ser realizadas com mão de obra de pessoas privadas de liberdade durante o período de recuperação do Rio Grande do Sul.

Fonte: Estado do RS

Escrito por Jornalismo

Rate it

Post anterior

Rádio Santa Cruz

Notícias

Pagamento do Bolsa Família para 21,6 mil famílias atingidas no Rio Grande do Sul está previsto para quarta-feira

O MDS (Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social) informou nesta segunda-feira, 27, que, na próxima quarta-feira, 29, 21.681 famílias do Rio Grande do Sul afetadas pelas fortes chuva vão receber pagamentos do Bolsa Família. Segundo o governo, são famílias que moram em regiões em estado de calamidade e em situação de vulnerabilidade, que estão em abrigos ou foram acolhidas por outras famílias. De acordo com o MDS, as beneficiárias não […]

today27/05/2024 13

Comentários da publicação (0)

Deixe uma resposta

O seu email não vai ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Rádio Santa Cruz | Rua Ramiro Barcelos, 737 – Centro | Santa Cruz do Sul – RS / CEP 96810-054

Websites: Magicpage

0%