Destaques

TJ nega pedido para que Henrique Hermany retorne à Câmara de Vereadores

today22/05/2024 42

Fundo
share close
Rádio Santa Cruz

Foto: Jacson Miguel Stülp/ Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Sul

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado negou pedido liminar na segunda-feira, 20 de maio, para que o vereador Henrique Hermany, de Santa Cruz do Sul retornasse ao cargo público. O parlamentar foi uma das 20 pessoas denunciadas pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS), no dia 25 de abril deste ano, por fraudes em licitações com prejuízo estimado de R$ 47 milhões e risco até à segurança de pilotos da Stock Car em prova realizada na cidade do Vale do Rio Pardo em novembro de 2023.

O vereador, afastado do cargo desde quando a Operação Controle – do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRS) e da Promotoria de Justiça local – foi deflagrada em novembro do ano passado, havia ingressado com um mandado de segurança, com pedido liminar, para voltar a atuar e a frequentar dependências de órgãos públicos do Executivo e do Legislativo de Santa Cruz do Sul. O parlamentar, junto com o vice-prefeito, quatro ex-secretários, ex-diretores de secretarias e empresários, foi denunciado por organização criminosa, peculato e fraude em licitações e contratos.

FRAUDES

Na denúncia dos promotores de Justiça João Beltrame, coordenador do 8° Núcleo do GAECO – Central, Flávio Passos e Érico Barin, designados, constam crimes que envolveram a reforma e a pavimentação do Autódromo Internacional de Santa Cruz do Sul. A obra, além de fraudada e superfaturada, foi executada com material inadequado, o que colocou em risco a segurança dos pilotos de etapa da Stock Car Brasil em novembro de 2022. O MPRS confirmou que, durante todo o tempo, os denunciados estavam cientes dos problemas que poderiam ocorrer.

Também foram apontadas várias infrações penais ocorridas desde a fase de elaboração dos projetos até a implementação de aditivos fraudados nas obras de duplicação de trecho da BR-471 que foi municipalizado. Apenas este contrato supera o valor de R$ 21 milhões. Além disso, o MPRS detalhou condutas criminosas que levaram à contratação direta e a prorrogações ilegais, mediante fraudes e valores com sobrepreço, de aluguéis de casa de festas e de salas comerciais em luxuoso empreendimento imobiliário, sem interesse público, para instalação de secretarias municipais.

Por fim, ainda foram apontadas mais duas tentativas de fraudes em futuras licitações milionárias, crimes que apenas não ocorreram devido à ação do MPRS ao deflagrar a fase ostensiva da operação e obter ordens judiciais de proibição de pagamentos, congelamento de bens e afastamentos de agentes públicos de suas funções.

Fonte: Ministério Público

Escrito por Jornalismo

Rate it

Post anterior

Notícias

Nível das águas do Guaíba fica abaixo de 4 metros pela primeira vez desde o dia 3 deste mês

As águas do Guaíba, em Porto Alegre, ficaram abaixo de 4 metros pela primeira vez desde o dia 3 deste mês, ao atingirem 3,99 metros no fim da noite de terça-feira, 21. Nesta quarta-feira, 22, o nível amanheceu em 3,93 metros. A cota de inundação é de 3 metros. No dia 5 deste mês, o nível do Guaíba atingiu a marca recorde de 5,35 metros. A cheia provocou a inundação […]

today22/05/2024 10

Comentários da publicação (0)

Deixe uma resposta

O seu email não vai ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Rádio Santa Cruz | Rua Ramiro Barcelos, 737 – Centro | Santa Cruz do Sul – RS / CEP 96810-054

0%