Destaques

Festival Santa Cruz de Cinema é adiado para setembro

today23/05/2024 37

Fundo
share close

Devido às fortes chuvas que assolaram o Rio Grande do Sul no final de abril e início de maio, o 7º Festival Santa Cruz de Cinema precisou ser adiado. O evento, que estava previsto para acontecer de 11 a 14 de junho, no Auditório Central da Unisc, será realizado de 3 a 6 de setembro. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 23, no Coworking Cultural.

O evento cultural é aberto ao público e tem entrada gratuita, com mostra de filmes, debate com os realizadores e oficinas audiovisuais. O Festival Santa Cruz de Cinema é produzido pelo Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Sul (Sesc/RS), Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) e Pé de Coelho Filmes. Na edição deste ano, conta com o patrocínio da Japan Tobacco Internacional (JTI) e da Prefeitura de Santa Cruz do Sul, além do apoio institucional da Locadora Filmes do Bem.

O secretário de Cultura de Santa Cruz do Sul, Dinho Barbosa, disse estar feliz em receber o lançamento do Festival Santa Cruz de Cinema em um espaço novo, apesar de tudo o que está acontecendo no Estado, solidarizando-se com as pessoas afetadas pelas enchentes. “É muito importante para a cultura. O festival movimenta uma gama de pessoas e promove sonhos. É uma porta de entrada para muitos que amam o cinema”, salienta.

Conforme um dos idealizadores do Festival Santa Cruz de Cinema, Diego Tafarel, serão 21 filmes exibidos durante o festival, sendo 18 na Mostra Nacional e três na Mostra Olhares Daqui.  Ao total, foram recebidos 827 curtas de 27 Estados do Brasil e Distrito Federal, resultando, neste ano, em um recorde de inscrições. “O festival tem crescido muito nos últimos anos”, afirma Diego.

Confira os filmes selecionados:

Mostra Nacional

  • Expresso Parador, de JV Santos (RJ)
  • Cida Tem Duas Sílabas, de Giovanna Castellari (SP)
  • Sereia, de Estevan de la Fuente (PR)
  • Circuito, de Alan Sousa e Leão Neto (CE)
  • Todo romance termina assim, de Marco Aurélio Gal (SP)
  • Pequenas Insurreições, de William de Oliveira (SP)
  • A Noite das Garrafadas, de Elder Gomes Barbosa (RJ)
  • Morro do Cemitério, de Rodrigo R. Meireles (MG)
  • Infantaria, de Laís Santos Araújo (AL)
  • A Menina Atrás do Espelho, de  Iuri Moreno (GO)
  • O Aniversário do Seu Lair, de Dácio Pinheiro (SP)
  • Big Bang, de Carlos Segundo (MG)
  • Fitoterapia, de EDUARDO PIOTROSKI (RS)
  • Cava, de HOPI CHAPMAN e KARINE EMERICH (RS)
  • Noz Pecã, de Aline Gutierres (RS)
  • O Tempo, de Ellen Corrêa (RS)
  • Ao sol e à sombra, de Teresa Assis Brasil e Richard Tavares (RS)
  • ZAGÊRO, de Victor Di Marco e Márcio Picoli (RS)

Mostra Olhares Daqui

  • Madame bovet – a mulher do casarão, de Bruna Weis e Guilherme Andriolo
  • Margaridas, de Bruna Richter Eichler
  • De volta para o mesmo lugar, de Lucas Lemes

Até a 6ª edição, o festival era realizado em outubro. Entretanto, neste ano, a organização decidiu por antecipar o evento para o primeiro semestre. “Nós decidimos em trocar, tendo em vista que o segundo semestre já possui diversos eventos na cidade”, explica Diego Tafarel.

A idealizadora do evento, Roberta Pereira, destaca que o Festival Santa Cruz de Cinema colabora com a economia local. “O evento movimenta restaurantes, rede hoteleira, e se transforma em uma atração da cidade, sendo divulgada para todo o Brasil”, pontua.

O idealizador do Festival Santa Cruz de Cinema, Rudinei Kopp, comenta que, desde a primeira semana em que as chuvas acometeram o Estado, a comissão organizadora logo decidiu por adiar o evento.

Foto: Idealizador do Festival Santa Cruz de Cinema, Rudinei Kopp. Crédito: Kássia Machado
Foto: Idealizador do Festival Santa Cruz de Cinema, Diego Tafarel. Crédito: Kássia Machado

Por: Kássia Machado

Escrito por Jornalismo

Rate it

Post anterior

Clima

Ponte flutuante em Candelária é arrastada pela correnteza

A ponte flutuante instalada pelo exército na Prainha (Carlos Larger) em Candelária foi levada por nova cheia do rio Pardo. A instalação servia para a passagem de pedestres no local que havia sido interrompido. Por volta das 17 horas desta quinta-feira, 23, una forte correnteza arrebentou a ponte. A ponte flutuante havia sido construída no rio Pardo pelo 3º Batalhão de Engenharia de Combate, de Cachoeira do Sul, para permitir […]

today23/05/2024 193 2

Comentários da publicação (0)

Deixe uma resposta

O seu email não vai ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Rádio Santa Cruz | Rua Ramiro Barcelos, 737 – Centro | Santa Cruz do Sul – RS / CEP 96810-054

Websites: Magicpage

0%