Economia

Leilão de arroz: Companhia Nacional de Abastecimento pede para bolsas comprovarem capacidade técnica de empresas vencedoras

today08/06/2024 6

Fundo
share close

Foto: Divulgação

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) anunciou, neste sábado, 8, que vai convocar as Bolsas de Mercadorias e Cereais para apresentar comprovações de capacidade técnica e financeira das empresas que representaram e saíram vencedoras dos respectivos lotes no leilão para compra de arroz beneficiado importado.

As Bolsas de Mercadorias e Cereais atuaram na intermediação da compra do produto por parte do governo federal. A determinação é do presidente do órgão, Edgar Pretto, diante das dúvidas e repercussões a partir da divulgação do resultado do leilão, realizado pela Conab na última quinta-feira, 6.

“A transparência e a segurança jurídica são princípios inegociáveis e a Conab está atenta para garantir segurança jurídica e solidez nessa grande operação”, afirmou o presidente da companhia.

Lotes vendidos

Em uma hora, a Companhia Nacional de Abastecimento conseguiu interessados para 17 dos 28 lotes de compra listados no edital. Praticamente não houve disputa entre os vendedores. Dos 17 lotes comprados, só houve mais de uma oferta em duas ocasiões.

Arroz de que tipo?

Os grãos adquiridos são do tipo longo fino beneficiado tipo 1. O edital cita que produto deverá ter aspecto, cor, odor e sabor característico de arroz beneficiado polido longo fino tipo 1, sendo vedada a aquisição de arroz aromático.

Quanto foi?

Quatro empresas se comprometeram a entregar o arroz a um preço de R$ 5 o quilo ao governo federal. Quando chegar aos estoques públicos, o cereal será vendido ao consumidor por R$ 4 o quilo. A diferença será paga pelos cofres públicos. O subsídio é chamado de subvenção.

Desconto no leilão

O preço final de compra variou muito pouco. Em 14 lotes, o preço final de compra foi exatamente os R$ 5 previstos. Em um lote, houve desconto de R$ 0,01 por quilo. Em outros dois, o desconto foi de R$ 0,0101.

Embalagem

O arroz chegará ao Brasil já embalado em pacotes de 5 quilos. Esse pacote deve ser transparente e incolor para permitir a visualização dos grãos. Além disso, o edital prevê que deverá ser impressa uma “logomarca a ser especificada”.
Inicialmente, o governo previa a frase “Adquirido pelo Governo Federal” com a marca do governo, mas o texto foi alterado.

Quem vendeu?

Quatro empresas venceram o leilão e vão vender o arroz ao governo. Entre elas, há uma empresa de locação de veículos, mas que tem entre as atividades secundárias o comércio atacadista de cereais e leguminosas.

As empresas que venderão o arroz ao governo são: Zafira Trading Ltda, Icefruit Indústria e Comércio de Alimentos Ltda, Wisley A De Souza Ltda e ASR Locação de Veículos e Máquinas Ltda.

Entrega

Os produtos deverão ser entregues ao governo até o dia 8 de setembro em 11 estados diferentes: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul.

Validade

O arroz adquirido pelo governo deverá ter vencimento em pelo menos 300 dias a partir da data da entrega.

Fonte: O Sul

Escrito por Jornalismo

Rate it

Post anterior

Rádio Santa Cruz

Destaques

Danos provocados pela enchente mantém Lago Dourado fechado à população

Ponto de encontro e prática de atividades físicas com lugar cativo no coração dos santa-cruzenses, o Lago Prefeito Telmo Kirst encontra-se fechado ao público desde a enchente que atingiu o município em maio. O excesso de água provocou avarias no espaço que podem oferecer risco aos frequentadores e, por esta razão, o acesso ao local segue vetado. Conforme a engenheira civil da Secretaria de Obras e Infraestrutura (Seoi), Roseli M. […]

today08/06/2024 34

Comentários da publicação (0)

Deixe uma resposta

O seu email não vai ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Rádio Santa Cruz | Rua Ramiro Barcelos, 737 – Centro | Santa Cruz do Sul – RS / CEP 96810-054

0%